terça-feira, 16 de dezembro de 2008

O som do silêncio

...E eu te fiz uma canção. A canção mais bonita, que agora, nem mesmo o silêncio irá ouvir.
Tu não mereces que tal som, de imaculado amor, chegue à teus ouvidos impuros, que se acostumaram à ouvir falsas promessas de amor. Tua boca agora exala o pútrido cheiro das mentiras, mentiras que um dia foram as minhas verdades.

...E eu de nada mais sei.

...E viva a banalização do amor.

(por Aneshka)

sábado, 15 de novembro de 2008

(d)existência...


"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim."

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Eu


Eu...queria tanto encontrar
Uma pessoa como eu
A quem eu possa confessar
alguma coisa sobre mim

Quando acontece um grande amor
assim como você e eu
o tempo passa por nós dois
não lembro o que aconteceu

Eu...queria tanto encontrar
Uma pessoa como eu
A quem eu possa confessar
alguma coisa sobre mim

Mas nem por isso vou ficar
a questionar os erros meus
Você precisa procurar
Achar o que você perdeu

Eu...queria tanto encontrar
Uma pessoa como eu
A quem eu possa confessar
alguma coisa sobre mim

*Pato Fu*

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Christoph


No medo,
No escuro,
Na solidão.

Caí muitas vezes,
Levantei sozinha,
Mas foi a sua voz
que me ensinou à
seguir em frente.

Nos piores momentos
fui carregada nos seus braços.
Não podia enxergar nada,
mas a sua voz
persistia e me ajudara.

No dia seguinte a mesma
voz me chama.
E pouco depois ao
pôr do sol, seus olhos
posso ver mais
uma vez.

A cada gesto,
A cada palavra,
Aquele sorriso
Aquela alma.

O toque profundo
de seus olhos
chegam nos meus
pensamentos e no
mais íntimo de
minha alma.

Através da noite
eles trocam segredos,

falam de desejos, medos
e saudade.

Suspiros, sussurros e
olhares... isso foi o que
aconteceu.

Espero que ele não
se esqueça.

02.07.01
(por Aneshka)

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

White...


Meus sentimentos num pedaço de papel... esquecido num canto... que nunca serão lidos.
Notas de uma música que nunca será ouvida... nem entendida.
A cada momento que passa, existe uma chance de mudar o que está à sua volta.
Mas eu já estou entre "eles". Esquecida... imperceptível.

28.09.08
(por Aneshka)

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Mensageiro do vento


Realmente a madrugada pode ser assustadora... por diversos motivos, dos mais variados possíveis. No devido caso é minha mente que me aterroriza.
Sinto que alguém me observa.
Isso é fato.
Mas por quê?
Sentada na sala, em meu sofá, somente com a luz do banheiro acesa; olho em direção ao "Wa Clo", e lá está... uma caricatura bizarra estampada no box. Tem uma cara comprida e velha, olhos pequenos e odiosos. Me observa, me encara.
Mas não é esse que me intriga. À minha direita está a sacada, que me permite ter uma ampla visão das sacadas do prédio vizinho. É algo muito próximo, não mais que 5m.
Então uma luz de um dos apartamentos se acende. Largo meu copo e observo. Lembro que ali mora um homem, pois já o vi estendendo roupas... (na madrugada se não me engano). Então a luz se apaga, e aí me sinto exposta, pois sei que ele pode me ver mas eu não o posso.
Tudo bem... retorno à leitura do livro, então um barulho me faz voltar o olhar à janela; era um barulho da sacada do tal homem abrindo-se, e o tilintar de seu sininho o denunciava... e a sua luz, permanecia apagada.
Eu gosto do som que faz o objeto decorativo desse vizinho. Em várias noites de vento, chuva e solidão; foi ao seu som que meus pensamentos foram acompanhados. O lado sombrio disso é que às vezes ele balança sem o vento, ao menos é o que já vi.
Mas é possível acreditar e tudo o que se vê?
Não acredito nem em mim mesma, por que acreditar nessas bobagens?
Então dirijo os olhos ao banheiro novamente e lá está meu velho amigo, caricaturado no box, e me fita com desprezo, com esse olhar de um velho rabugento, achando que já viu de tudo.
E na minha frente, quem está? Minha silhueta funesta, refletida em uma tela de TV... pensativa, conturbada... doente.

*25.09.08*
(por Aneshka)

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

sábado, 6 de setembro de 2008

Teu Segredo


"Flores envenenadas na jarra. Roxas azuis, encarnadas, atapetam o ar. Que riqueza de hospital. Nunca vi mais belas e mais perigosas. É assim então o teu segredo. Teu segredo é tão parecido contigo que nada me revela além do que já sei. E sei tão pouco como se o teu enigma fosse eu. Assim como tu és o meu."


*Clarice Lispector*

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Love me to the end



Esperando o amanhecer
Esperando a noite
Esperando o amanhecer
Esperando a noite
O dia é muito longo
O dia é muito brilhante
O dia é muito longo
O dia é muito brilhante
Me ame,
Me ame até o fim

Esse homem persegue
Um punhal em suas mãos
Esse homem persegue
Um punhal em suas mãos
Ainda ele nunca
entrará nas nossas terras
Ainda ele nunca
entrará nas nossas terras
Me ame,
Me ame até o fim

Caia do meu lado
Aqui nos meus braços
Caia do meu lado
Aqui nos meus braços
Essa noite para sempre
O amanhecer não virá
Essa noite para sempre
O amanhecer não virá
Me ame,
Me ame até o fim
Me ame,
Me ame até o fim

*Deine Lakaien*

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Thy Sin

Try to see my heart, behind the chains...
I'm poisoned
I'm suffering
I'm accursed
I'm alone...
...Lost in the darkness
Can't you hear me?
Can't you find me?
Please... take me home

(por Aneshka)

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Stein Um Stein



Eu tenho planos, grandes planos
Eu estou construindo uma casa para você
Cada pedra foi uma lágrima
E você nunca mais irá ir embora

Sim, eu estou te construindo uma pequena casa
ela não tem janelas, e nem portas
Por dentro dela brotará a escuridão
E nenhuma luz ousará entrar nela

Sim, eu estou construindo uma casa para você
e você fará parte dela

Pedra por Pedra
Você se tornou o meu muro
Pedra por Pedra
Eu vou estar com você para sempre

Sem vestido, sem sapatos,
você me observa enquanto eu trabalho
Com seus pés no cimento
você torna a construção maravilhosa

Haverá um jardim do lado de fora
e ninguém poderá ouvir você gritar

Pedra por Pedra
Você se tornou o meu muro
Pedra por Pedra
Eu vou estar com você para sempre
Eu vou estar com você para sempre

Com um esboço, sempre martelando
Do lado de fora o dia está amanhecendo
Todos os pregos se firmando
enquanto eu os prendo contra o seu corpo de madeira

Pedra

Pedra por Pedra
Você se tornou o meu muro
Pedra por Pedra
Você se tornou o meu muro
Pedra por Pedra
Você se tornou o meu muro
Pedra por Pedra
E ninguém me ouve chorar

*Rammstein*




Faça você também Que
gênio-louco é você?
Uma criação de O Mundo Insano da Abyssinia


quarta-feira, 2 de julho de 2008

Bed of Flames


Dirty conscience in my head
Naked dreams that go unsaid
You have put this fear in me
Why won't you just let me be

Leave me on this bed of flames
Life can never be the same
All that's left is guilt and shame
I'm not sorry

Trust is not a simple plea
All I have is all of me
You can't take what's in my heart
Leaving pieces torn apart

Leave me on this bed of flames
Life can never be the same
All that's left is guilt and shame
I'm not sorry

In the flames of truth
The blind man can see
The cross won't save you
Travel with me

As I lay me down to sleep
Wicked thoughts through my mind creep
Fire burns me outside in
Maybe this will take my sin



*Hungry Lucy*

love, love, love

domingo, 29 de junho de 2008

Seele

Teu beijos não marcam só a minha pele, mas minha alma. Tua violência é minha libido. Teu cheiro me leva aos desejos mais profundos... jamais revelados. Que posso eu ser, a não ser agora tua? Como já disse ...you are like poison in my veins...

(por Aneshka)

"Nichts ist für dich... nichts war für dich... nichts bleibt für dich... für immer."

*Rammstein*

domingo, 22 de junho de 2008

Nem toda dor machuca...

Quando você tem vontade
Você aprende a perdoar e a esquecer
Você tem que -
Recolher os pedaços quebrados e
coração humilhado
Levantar-se do lugar aonde você se escondeu
Se eu não soubesse sentir falta de nada
Isso não poderia me machucar nunca mais
Erros ensinam a construir a vida
das cinzas, que caíram no chão

Sem dor alguma não seria a mesma coisa
Experiências me fizeram forte
Nem toda dor machuca
Profundamente
Quando você aprende a dividir
Não tenha medo do perigo
Siga seu coração para a luz
Viva seus sonhos e respire

Quando você ouve a si mesma
Não espere sempre
encontrar compreensão
Isso leva tempo
Você pode perder sua fé
Mas não tenha medo
de encontrar a solução

Minha carga não era tão pesada
Que eu não pudesse tentar
carregar a sua
Meu coração queimando - insuportável!
Minha mente otimista - desmoronou

Sem dor alguma não seria a mesma coisa
Experiência me fizeram forte
Nem toda dor machuca
Profundamente
Quando você aprende a dividir
Não tenha medo do perigo
Siga seu coração para a luz
Viva seus sonhos e aprenda a continuar


*Lacrimosa*

terça-feira, 17 de junho de 2008

In My Time Of Need


"Não consigo ver qual é o sentido
Dessa vida que levo
Tento te esquecer assim como você me esqueceu
Agora não há mais nada para você quebrar,
Isto é um adeus

O verão está a milhas e milhas de distância
E ninguém me convidaria para ficar

E eu devo contemplar esta mudança
Para amenizar a dor
E eu deveria sair debaixo da chuva
E virar às costas

Perto de terminar tudo,
Sou levado pelas várias fases
Do êxtase que surgiu por essa perda
Pensamentos sobre morrer
Destroem-me do fundo da minha alma
Às vezes a escuridão começa a desaparecer
Mas isso nunca continua
Alguém me protegeria

Quando eu mais precisar?"


*Opeth*

terça-feira, 10 de junho de 2008

Silêncio...

"...Gosto de ti quando calas porque estás como ausente.

Distante e dolorosa como se tivesses morrido.

Uma palavra então, um sorriso bastam.

E eu estou alegre, alegre de que não seja verdade.

Gosto de ti quando calas e estás como distante.

E estás como que te queixando, borboleta em arrulho.

E me ouves de longe, e a minha voz não te alcança:

Deixa-me que me cale com o silêncio teu. ..."

(Pablo Neruda)



...esse foi teu presente pra mim...

obrigada

também gosto de ti


segunda-feira, 9 de junho de 2008

Bound in blood

"As I feel you
As I see you
As I touch you
Want to be you
We were little
Constant riddle
Playing, dreaming, crying, screaming..."

*Hungry Lucy... sempre... Hungry Lucy*

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Sonhos dilacerados


Don't touch me...
trust me...
don't touch me...
I am your sin...
...and you are like poison in my veins.
(por Aneshka)


"I hurt myself today"

terça-feira, 3 de junho de 2008

terça-feira, 27 de maio de 2008

Unwirklich


Noite de Ano Novo... uma festa peculiar, com muita gente, vinho, comida... fazia um frio intenso, e passamos a virada em cima do vinhedo... vendo os fogos de Dresden. Conversei quase toda a noite com Stefen e a Thea, pessoas mais do que interessantes.
Então...
Subi as escadas em meio à escuridão, fui direto ao segundo andar à procura do banheiro, pois era o único lugar que eu sabia que teria uma luz. Tateando paredes e objetos, achei algo com que parecera finalmente ser a chave de luz.
Caixas, livros, estátuas estavam esparramadas por todos os lados. Caminhei em direção à porta do quarto em que ficaria. Encontrei então mais caixas, tecidos e um roupeiro antigo com uma foto colada na porta.
Entrei no quarto onde ficava a cama. Era frio e a cama estava desarrumada com mais ou menos quatro edredons embolados. Logo acima da cama havia uma biblioteca; com fotos, diários e moedas esparramadas também.
Ao lado esquerdo havia uma pequena escrivaninha, uma cadeira velha com uma calça suja e um par de meias no chão. O chão era de madeira velha, com terra e muita sujeira. Fui em direção ao aparelho de calefação que ficara abaixo da janela. Já estava no nível quatro, mas parecia não funcionar.
Da janela enxergara apenas uma luz que vinha da rua, não definira-se bem as coisas, pois o vidro estara embaçado.
Soltei a minha bolsa num canto e arrumei a cama. Peguei uma almofada que tinha alguns símbolos orientais ou budistas, para não usar o travesseiro da dona da cama.
Apaguei a luz, mas a claridade da rua invadira o quarto.
Pensei um pouco, fechei os olhos e dormi.
Acordei mais tarde e a claridade tomara conta do quarto. Vesti minha roupa e esperei um pouco para descer.
Dirigi-me até a outra parte do quarto, onde ficara o roupeiro. Olhei pela janela e o sol refletira sobre a neve.
Olhei algumas fotos antigas que estavam por ali.
Foi tudo como um sonho, como se eu tivesse entrado na casa de alguém e o tempo tivesse parado e todas as lembranças dela estão espalhadas ali para quem queira vê-las. Era tudo interessante, mas ao mesmo tempo eu não queria mais ficar ali, pois tudo tinha um sentimento de saudade, nostalgia e esquecimento.

(por Aneshka. Alemanha, 01.01.01)

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Sterben


...you was the light when everything was darkness...

(por Aneshka)

domingo, 18 de maio de 2008

Imperceptível?

...muitas vezes é o quê quero ser... algumas vezes é o quê sou... e provavelmente o quê realmente serei...

(por Aneshka)

segunda-feira, 12 de maio de 2008

High Price Of Mistakes


























On the edge,
I wait Hands held tightly…together
Waiting for the name
I wallow in my shame
I played a dangerous game
Hold it all inside, they said
Don’t you speak of this disgrace (till you’re six feet underground)
People whisper silently
I can’t even show my face (can you turn your life around)
Don’t think positive
I’ll only crush myself
We just have to learn
In our mistakes we cause concern
But in the end it’s only me who’ll burn
What will you do, they scream at me
Turning nights to endless days (is there shelter from your fear)
My decisions have no weight
I can only run away (it’s your voice you have to hear) Hold it all inside, they said
Don’t you speak of this disgrace (till you’re six feet underground)
Whispers turn so deafening
I can’t live with my own face (can you turn your life around)
What will you do they scream at me
Leaving my wound so exposed (is there shelter from your fear)
Twisted words and loving arms
No one else will ever know (it’s your voice you have to hear)

*Hungry Lucy*

...pra ti... que nem sabe que é pra ti... :)

quarta-feira, 7 de maio de 2008

The Chase


I can’t find her
Just shadows on the wall
A net full of holes
Can’t prove anything at all
Memory is beautiful
Her flesh is not in front of me
I want to comfort
The girl I never see

Where has she gone
She’s out there all alone
Hidden faces turn
Begin the memory burn
When will she find me

Thin and withered
Red dress turned to pink
Thought I heard her laughing
In books of blue black ink
I don’t think she’s in there
Just an unresponsive smile
No, I can’t see her dancing
I’ve been looking all the while

*Hungry Lucy*

domingo, 4 de maio de 2008

Minha amada


Eu sei que você não pode dizer
O que está errado por que você está sentindo-se assim
Basta lembrar quando você estiver sentindo-se pra baixo
Você sempre pode colocar sua coroa

Minha amada
Isto é uma lágrima em seu olho
Minha amada
O quê está fazendo você chorar
Minha amada
Você irá andar comigo
Para o lugar
Onde podemos ser livres

Querida está ficando tão tarde
Devemos ir para casa não arriscar a sorte
Encontrar isto em si mesmo para amar-me novamente
Não tenha medo nós vamos vencer

Você não fez as coisas que você pensou
Não é verdade as mentiras não podem ser compradas
Eu entendo que você está sentindo-se tão fria
Fique comigo, assim como nós crescemos
*Hungry Lucy*

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Together...

Drops of slime big as pies
stain every single day of your saint's life
consecution of all the sin you've been put inside,
my beautiful star

Wake up together,
togheter we will take the shame from you away
wake up together,
togheter we will take the shame from you away

wake up together
together we will take the shame,
together we will take the shame from you

E c'era come un rumore di vetro infranto
ed una sensazione di allegria sommaria
noi eravamo foglie in quell'Autunno strano
e senza capir perchè ci siam sfiorati piano

E c'era come un rumore di bambini
noi come gli altri senza direzione alcuna
d'un tratto quell'Autunno diventò l'Estate
uno sconquasso, caddi e persi la tua mano


Memoria Stoica - *Novembre*

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Rainfall


Por detrás do muro
Há um menino
Eu tentei alcançar
Por muitos anos
Toda vez que chove
Eu vejo o seu rosto
Eu ofereço abrigo
Ele anda para longe
Talvez você tenha um futuro brilhante
O passado que você teve estava envolto em engano
Talvez você seja eternamente bonito
Do jeito que você é
Do jeito que você é
Pra mim
Eu tive a chance
Para sentir sua dor
Eu não olhei
Bem no fundo
A minha esperança desesperada
Não vai trazê-lo de volta
Isso só mata
O amor que tenho
Eu andei por aí
Desde o limite das águas
Me sentindo entorpecida
Do frio
Agora, quando chove
Eu não posso ver o rosto dele
Eu sou fraca
E eu falhei

(Hungry Lucy)
*minha tradução da letra de Rainfall*

...sim, o desenho é meu...

Sleeping Beauty


Delusional
I believe I can cure it all
for you dear
Coax or trick or drive or
drag the demons from you
Make it right for you sleeping beauty
Truly thought
I can magically heal you

You're Far beyond a visible sign of your awakening
Failing Miserably to rescue

Sleeping Beauty

Drunk on ego
Truly thought
I could make it right
If I kissed you one more time to
Help you face the nightmare, but you're
Far too poisoned for me
Such a fool to think that I can wake you from your slumber
That I could actually heal you

Sleeping Beauty
Poisoned and hopeless

You're far beyond a visible sign of your awakening
Failing miserably to find a way to comfort you
Far beyond a visible sign of your awakening
And hiding from some poisoned memory

Poisoned and hopeless
Sleeping Beauty

(A Perfect Circle)