terça-feira, 16 de dezembro de 2008

O som do silêncio

...E eu te fiz uma canção. A canção mais bonita, que agora, nem mesmo o silêncio irá ouvir.
Tu não mereces que tal som, de imaculado amor, chegue à teus ouvidos impuros, que se acostumaram à ouvir falsas promessas de amor. Tua boca agora exala o pútrido cheiro das mentiras, mentiras que um dia foram as minhas verdades.

...E eu de nada mais sei.

...E viva a banalização do amor.

(por Aneshka)