quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Zero *Smashing Pumpkins*




Meu reflexo, espelho sujo

Não se conecta comigo

Sou o seu amante, sou o seu zero

Sou a face nos seus sonhos de vidro

Portanto poupe suas preces

pra quando realmente precisarmos

Jogue fora sua cautela e vôe

Quer dar uma voltinha?



Ela foi feita pra mim

Ela é tudo que eu preciso

Porque ela foi feita pra mim

Estar vazio é solidão e estar só é estar puro

E a pureza é algo de Deus, e Deus é vazio igualzinho a mim

Intoxicado com a loucura, estou apaixonado pela minha tristeza

Dissimulados de merda, reinos encantados

As vítimas dos modismos alardeiam seus dentes de carvão

Nunca revelarei, que estava num navio submergindo

Nunca revelarei que estava deprimido

Você culpa si mesmo, pelo o que não consegues ignorar

Você culpa a si mesmo, por querer mais

Ela foi feita pra mim

Ela é tudo que eu preciso

Ela foi feita pra mim

Ela é minha única e eterna

domingo, 27 de dezembro de 2009

A mulher moderna




Arnaldo Jabor que me perdoe.

Trecho extraído de uma de suas crônicas.
"- Nunca deixe uma "mulher moderna" insegura. Antigamente elas choravam. Hoje, elas simplesmente traem, sem dó nem piedade.

- Não ache que ela tem poderes "adivinhatórios". Ela tem de saber - da sua boca - o quanto você gosta dela. Qualquer dúvida neste sentido poderá levar às conseqüências expostas acima.

- Não ache que é normal sair com os amigos (seja pra beber, pra jogar futebol...) mais do que duas vezes por semana, três vezes então é assinar atestado de "chifrudo". As "mulheres modernas" dificilmente andam implicando com isso, entretanto elas são categoricamente "cheias de amor pra dar" e precisam da "presença masculina". Se não for a sua meu amigo... bem...

- Quando disser que vai ligar, ligue, senão o risco dela ligar pra aquele ex bom de cama é grandessíssimo.

- Satisfaça-a sexualmente. Mas não finja satisfazê-la. As "mulheres modernas" têm um pique absurdo com relação ao sexo e, principalmente dos 20 aos 38 anos, elas pensam em - e querem - fazer sexo todos os dias (pasmem, mas é a pura verdade)...bom, nem precisa dizer que se não for com você...

- Lhe dê atenção. Mas principalmente faça com que ela perceba isso. Garanhões mau (ou bem) intencionados sempre existem, e estes quando querem são peritos em levar uma mulher às nuvens. Então, leve-a você, afinal, ela é sua ou não é????

Nem pense em provocar "ciuminhos" vãos. Como pude constatar, mulher insegura é uma máquina colocadora de chifres.

- Em hipótese alguma deixe-a desconfiar do fato de você estar saindo com outra. Essa mera suposição da parte delas dá ensejo ao um "chifre" tão estrondoso que quando você acordar, meu amigo, já existirá alguém MUITO MAIS "comedor" do que você...só que o prato principal, bem...dessa vez é a SUA mulher.

Sabe aquele bonitão que, você sabe, sairia com a sua mulher a qualquer hora. Bem... de repente a recíproca também pode ser verdadeira. Basta ela, só por um segundo, achar que você merece...Quando você reparar... já foi.

- Tente estar menos "cansado". A "mulher moderna" também trabalhou o dia inteiro e, provavelmente, ainda tem fôlego para - como diziam os homens de antigamente - "dar uma", para depois, virar pro lado e simplesmente dormir.

- Volte a fazer coisas do começo da relação. Se quando começaram a sair viviam se cruzando em "baladas", "se pegando" em lugares inusitados, trocavam e-mails ou telefonemas picantes, a chance dela gostar disso é muito grande, e a de sentir falta disso então é imensa. A "mulher moderna" não pode sentir falta dessas coisas...senão...

Bem amigos, aplica-se, finalmente, o tão famoso jargão "quem não dá assistência, abre concorrência".

Deste modo, se você está ao lado de uma mulher de quem realmente gosta e tem plena consciência de que, atualmente o mercado não está pra peixe (falemos de qualidade), pense bem antes de dar alguma dessas "mancadas"... proteja-a, ame-a, e, principalmente, faça-a saber disso.

Ela vai pensar milhões de vezes antes de dar bola pra aquele "bonitão" que vive enchendo-a de olhares... e vai continuar, sem dúvidas, olhando só pra você! "
(Arnaldo Jabor)




Infelizmente esse tipo de coisa é verdade, e muito mais corriqueiro do que se imagina... só que isso reduz as mulheres à simples criaturas sugadoras e vingativas... se elas não têm o que querem pegam e ferram com a vida do parceiro.
As coisas não funcionam na base da exigência e de dar o troco; lógico que tem que haver uma troca (troco não é troca!), uma simbiose, que encaminhe o relacionamento para um equilíbrio.
Pra que tudo isso aconteça, é necessário tempo, paciência, dedicação...
E eu me pergunto: onde está o amor e o respeito nisso tudo?

Isso definitivamente não é ser uma mulher moderna.
(Aneshka)

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

L'Amour Detruit


The honey of romance, so
sweet for us
Through swaying grass we
run in arms, just us
The honey of romance, our
treat to us
These arms I fold around you.
It's just us.

Your charms so rare
My flesh laid bare
In arms we dare

I will kiss her mouth and her
dark eyes
Lose myself freely in her dark
eyes
Fall right through her soul,
her mind, her skies

Our limbs entwined
Then comes our minds
It's hope we find

The red lips of her mouth
they call to me

Her mind is mine
Her flesh my kind
Warm, soft, smooth, mine!

I lack for naught
Her mind welcomes my
thoughts

Within our arms we sleep
deeply
I pull her close to me, near me,
into me

Entering the dark, so close,
entwined
We drift away to nothing
And no-one will find

*My Dying Bride*

É... o amor destrói.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Para a (des)conhecida



Das noites de café, das noites de filmes clichês na TV, das noites olhando pela janela; as que tomam conta dos meus pensamentos, são aquelas que eu ficava olhando para o apartamento dela. Dela, a qual nem sei o nome, que por horas deitado eu imagino de que belo nome chamar.
Acordo no meio da noite, e sem saber por que vou até a sacada, lá, bem na minha frente está o apartamento dela. Eu a observo. Ela às vezes está no sofá lendo, raramente olha televisão; mas na maioria das vezes ela está no quarto.
Me sinto um fracassado, com medo, intimidado quando os olhos dela cruzam com os meus. Queria um dia poder contar o quão delicado e atraente é o modo como ela toma o seu chá, contar que meu coração se acalma quando eu a vejo adormecer após ter lido seu livro.
Meus dias são escuros e minhas noites em claro.
Eu não durmo para não ter pesadelos. Ou seria pra não sonhar?
Sonho com teus beijos e com o toque da tuas belas mãos brancas e suaves.
Tenho pesadelos com os teus longos cabelos, que por muitas vezes me sufocam.
Oh minha deusa, será que algum dia irás perceber teu súdito? Imperceptível à teus olhos negros.
Mas vai chegar o tempo em que eu irei te salvar, te levar embora e dizer que tu és minha, pois há muito tempo já sou teu.

(Por Aneshka)

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O Estranho



Sou doente por ti.
Minha doença é tamanha, que chego à pensar que pode ser amor.
A dor é intensa... constante.
Não havia até então sentido algo semelhante.
Você é meu veneno e meu antídoto
Você é minhas noites de insônia e minhas tardes de sono
Você é a paz e a fúria dos meus tormentos
Como já te disse... um ser ambíguo... de dor e prazer.

Perdida em sonhos
Dilacerada na realidade
Incompreendida em meu universo paralelo
E eu pude ver em ti, tudo o que eu via em mim.

(Por Aneshka)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O Menestrel - William Shakespeare



Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.
Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
Aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la…
E que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos de mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam…
Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa… por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas para onde está indo… mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve.
Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão… e que ser flexível não significa ser fraco, ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem, pelo menos, dois lados. Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens…
Poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém…
Algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida! Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.

Querer



Queria ser egoísta o suficiente para dizer: não some! volta!
Queria ser altruísta o suficiente para dizer: vai, segue teu caminho, seja "feliz".
Queria ser indiferente o suficiente para dizer: faça à teu modo.
Queria ser o que você quisesse... ser.
Queria ser o alimento e a fome dos teus desejos.
Queria ser "ela" e que você fosse "ele".
Queria tanto que já não sei o que mais querer.
Queria ser e não ser.
Queria ser e não existir.
Queria dormir.
Queria esquecer.
E por fim
Queria morrer.

(Por Aneshka)

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Universo Paralelo



Norte, Sul
Dia, Noite
Tua pele e a minha
E o tempo caminha...
Onde a tua alma habita na minha.

(Por Aneshka)

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Canção



Pus meu sonho num navio
e o navio em cima do mar;
- depois, abri o mar com as mãos,
para meu sonho naufragar.

Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.

O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio...

Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e meu navio chegue ao fundo
e meu sonho desapareça.

Depois, tudo estará perfeito;
praia lisa, águas coordenadas,
meus olhos secos como pedras
e minhas duas mãos quebradas.


*Cecília Meireles*

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Sweet Autumn



Faraway from your fragrance
Faraway from your lips
Faraway from your delicate storm
Faraway from my dream

Faraway from your sunshine
Faraway from your light hair
Faraway from your soft skin
Faraway

*Ashram*

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Submergindo




Eu sinto muito
Está cada vez mais profundo
Assim como a dor que me causas,
Desejos afogados.

O gosto do sal corroe tuas doces lembranças,
Já não escuto mais o som grave da tua voz
E tudo fica tão calmo
tão escuro
No mais profundo silêncio.

Não há mais como lutar;
em qual sentido fica a superfície?

E assim acaba,
Resignada
Submergindo.

(Por Aneshka)

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Lover's Grief




Tristeza do amante



Ó lua gótica teu brilho me encantou esta noite
Tirou-me do sono, me fez perambular sob tua luz
Tu deixaste meu coração florescer até o ultimo de seus raios,
Brilhe!

Assassina do sono, e nuvens negras te escondem...
Eu sei que isto não pode ser eterno!
Nenhum amor nunca conquistou os limites do tempo!
Nenhuma beleza dura para sempre, nem mesmo a tua!
Mas como eu desejei que seu coração fosse para sempre meu...
Teus olhos me acariciam para encarar estas mentiras dolorosas...
A persistência da lua me fez perguntar...

Por que nós não podemos ser estrelas?
(Estrelas que brilham para sempre...)
Por que nós não podemos ser estrelas?
(Estrelas que se unem com a noite...)
Por que nós não podemos ser estrelas?

No horizonte as negras nuvens de tristeza reuníram seu poder,
Nem a lua, nem as estreslas revelam suas luzes esta noite...
E a chuva continua caindo, chovendo para dentro de minha alma,
Enquanto selvagens nuvens que choram me envolvem com sua tristeza.

*Empyrium*



Tu não enxergas que teu caminho é o espelho d'água, que reflete a minha alma na tua.
Horas à comtemplar tal beleza, observando detalhes, que nenhuma importância têm, pois o que há de mais belo em mim nunca será admirado.
Encontra à ti mesmo, e verá que mesmo de longe, contigo eu sempre estive.
(Por Aneshka)

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Sinto te dizer, amor...


Era uma vez, Candy e Dan. As coisas estavam quentes naquele ano. A seiva derretia nas árvores. Ele escalava sacadas. Ele escalava tudo, fazia qualquer coisa por ela. Ah, Danny querido. Milhares de pássaros minúsculos enfeitavam o cabelo dela. Tudo era dourado. Uma noite, a cama pegou fogo. Ele era lindo e ótimo criminoso. A gente vivia de luz e de chocolate. Era tarde de extravagante deleite. Danny, o destemido. Candy desapareceu. Os últimos raios de sol do dia passeiam feito tubarões. Eu queria tentar do seu jeito desta vez. Você entrou na minha vida rapidinho, e eu gostei. A gente se retorcia na lama de nossa alegria. Minhas coxas ficaram molhadas com liberdade. Então, houve um intervalo .. e toda a Terra tombou. É o que interessa, é o que a gente quer. Com você dentro de mim, reconheço minha morte. Talvez a gente nunca mais durma. O monstro da piscina. É da natureza do cão .. Com gatos, galinhas e feijão. Onde quer que eu olhasse .. Às vezes, eu te odeio. Sexta-feira. Eu não falei para valer. Mãe do azul, anjo da tempestade. Você apontou para o céu. Demanda. Oferta. Aquela se chama Sirius, ou Estrela do Cão. Ha ha! Maldito, Ha! Você é maldito Dan. Um vaso de flores ao lado da cama. Machuquei sua cabeça na cabeceira da cama. Mas o bebê morreu pela manhã. Nós demos um nome a ele. O nome dele era Thomas. Coitado desse pequeno deus. O coração dele bate feito um tambor de macumba.
Era uma vez, Candy e Dan. Foi apenas dois deles. Tudo era ouro. Ele era lindo e um ótimo criminoso. Nós viviamos sob a luz do sol e barras de chocolate. Ele escalava sacadas, escalava tudo, faz qualquer coisa por ela, oh Danny. Você entrou na minha vida tão rápido e eu gostei. Mas Danny você disse, você prometeu. Você observou o céu, aquele chamado Sirius ou Estrela-cachorro, mas aqui na Terra. Quanto eu amo esse murmurio nas minhas orelhas. Uma vez que existir uma coisa para amar e não pode ser você. Danny meu pequeno travesso. Candy desapareceu. É um mundo sujo Reich, diga o que quiser dizer ...

*Candy*



I don't wanna cry, tonight
You can make me feel so fine
I just wanna try, one more time
Cause I love you...
I fall in love, loving you
I'm falling down, for loving you
I fall... in love'ing you
You fall... apart away from me.
(Por Aneshka)

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Miss you love...


"Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já...

Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...

Saudade é sentir que existe o que não existe mais...
Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade,
aquela que nunca amou.
E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido..."

(Pablo Neruda)

sábado, 22 de agosto de 2009

Por uma vida inteira...


E de onde vem o olhar?
De tanta paz...
Que diz o que não sabe dizer...
Que expressa o que não consegue entender...
Por entre acordes e tristezas
Segredos revelados
A pele alva de uma dama
Sonhos febris têm te provocado
Violões e cintas-ligas
Beijos cálidos nas despedidas.

*Por Aneshka*

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Cada vez mais perto...


Interrompendo as Buscas

ASSISTINDO AO ÓTIMO "CLOSER - Perto demais", me veio à lembrança um poema chamado "Salvação", de Nei Duclós, que tem um verso bonito que diz: "Nenhuma pessoa é lugar de repouso". Volta e meia este verso me persegue, e ele caiu como uma luva para a história que eu acompanhava dentro do cinema, em que quatro pessoas relacionam-se entre si e nunca se dão por satisfeitas, seguindo sempre em busca de algo que não sabem exatamente o que é. Não há interação com outros personagens ou com as questões banais da vida. É uma egotrip que não permite avanço, que não encontra uma saída - o que é irônico, pois o maior medo dos quatro é justamente a paralisia, precisam estar sempre em movimento. Eles certamente assinariam embaixo: nenhuma pessoa é lugar de repouso.

Apesar dos diálogos divertidos, é um filme triste. Seco. Uma mirada microscópica sobre o que o terceiro milênio tem a nos oferecer: um amplo leque de opções sexuais e descompromisso total com a eternidade - nada foi feito pra durar. Quem não estiver feliz, é só fazer a mala e bater a porta. Relações mais honestas, mais práticas e mais excitantes. Deveria parecer o paraíso, mas o fato é que saímos do cinema com um gosto amargo na boca.

Com o tempo, nos tornamos pessoas maduras, aprendemos a lidar com as nossas perdas e já não temos tantas ilusões. Sabemos que não iremos encontrar uma pessoa que, sozinha, conseguirá corresponder 100% a todas as nossas expectativas ¿ sexuais, afetivas e intelectuais. Os que não se conformam com isso adotam o rodízio e aproveitam a vida. Que bom, que maravilha, então deveriam sofrer menos, não? O problema é que ninguém é tão maduro a ponto de abrir mão do que lhe restou de inocência. Ainda dói trocar o romantismo pelo ceticismo, ainda guardamos resquícios dos contos de fada. Mesmo a vida lá fora flertando descaradamente conosco, nos seduzindo com propostas tipo "leve dois, pague um", também nos parece tentadora a idéia de contrariar o verso de Duclós e encontrar alguém que acalme nossa histeria e nos faça interromper as buscas.

Não há nada de errado em curtir a mansidão de um relacionamento que já não é apaixonante, mas que oferece em troca a benção da intimidade e do silêncio compartilhado, sem ninguém mais precisar se preocupar em mentir ou dizer a verdade. Quando se está há muitos anos com a mesma pessoa, há grande chance de ela conhecer bem você, já não é preciso ficar explicando a todo instante suas contradições, seus motivos, seus desejos. Economiza-se muito em palavras, os gestos falam por si. Quer coisa melhor do que poder ficar quieto ao lado de alguém, sem que nenhum dos dois se atrapalhe com isso?

Longas relações conseguem atravessar a fronteira do estranhamento, um vira pátria do outro. Amizade com sexo também é um jeito legítimo de se relacionar, mesmo não sendo bem encarado pelos caçadores de emoções. Não é pela ansiedade que se mede a grandeza de um sentimento. Sentar, ambos, de frente pra lua, havendo lua, ou de frente pra chuva, havendo chuva, e juntos fazerem um brinde com as taças, contenham elas vinho ou café, a isso chama-se trégua. Uma relação calma entre duas pessoas que, sem se preocuparem em ser modernos ou eternos, fizeram um do outro seu lugar de repouso. Preguiça de voltar à ativa? Muitas vezes, é. Mas também, vá saber, pode ser amor.
(Martha Medeiros)


E a tua busca, quando chegará ao fim?
Apreciarias o silêncio ao meu lado?
E a minha confiança de cristal em tuas mãos com sangue mancharia?
É o fim da inocência. É a magia... de quando tudo começou e de quando se quebrou.
E talvez seja todo essa caos, que faz tudo ser tão dolorosamente belo.
(por Aneshka)

quarta-feira, 29 de julho de 2009

mão estendida e um abraço quente...perdido em meio aos vãos...


Beije a imagem no ataúde de um estranho
O que foi feito do esplendor?
Doze batidas caíram
E o respirar ouvido levemente
Tão debatida minha beleza

Uma alma arruinada lamentando
Onde os anjos concedem suas asas
Para curvar, para reverenciar o âmago de um amigo

Beije-me delicadamente, Deus feroz
Meus lábios estão silenciosos para pronunciar mil palavras vãs
E quão doce trabalho
Tudo está escuro, tudo está enegrecido
Tudo menos uma face ascendida



...e me perdi...
num delírio de loucura não pensada...uma confusão indolente...
numa agonia egoísta...sem valor...
eu te tenho como valor...de pessoa, favores...e amor!
como suas rosas vivas ou mortas...pois você sempre estará viva em mim...assim como sempre esteve...

nos dias confusos...nas madrugadas eternas...nos sonos profundos...na distância lamentável...

te tenho mais perto do que possas imaginar...e não é por terra que as digo...e sim de coração...

não me atormento se sentes o mesmo...pois sei que um dia isso ja lhe habitou...mas não é isso que me importa...

o que me preocupa é saber se estás em paz...
isso me atormenta os dias...
assim como sua companhia...me colore os dias, por mais escuros que sejam...e ao teu lado...sinto raios de esperança...assim como o princípio de tudo...

te abraço grande em mim...pois és o ser pequenino em existência...mas infinito...em beleza de alma...

anos felizes sempre à ti!


J.

domingo, 19 de julho de 2009

"Meus pecados ainda não perdoei"



Começa nossa balburdia
Indo e vindo em nosso elo
Bem me quis por quanto tempo?
Enfim defino seu castelo
Linda sua flecha de mel
Lustra a desconfiança esculpida
E o meu coração suicida
Mais parece tua ferida
Enquanto a paixão intensa
Une nossas mãos
Esvazia um amargo temor
No andar do teu chão
Cito um silêncio gritante
Ao teu doce sorriso
Nunca criarei o teu pranto
Tendo minha honra fidelizando
O olhar sincero do teu ENCANTO...

R.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Harvest



Please don't say
What you mean
Time is short
For you and me

In my room
I can see your tears
I'm not inside
But I feel your fear

It's harvest time
Once again
Dust off the moon
And let's begin

Please don't say
I don't care
No one said
Life would be fair

Standing here
You seem so far away
I am longing
For just one more day

It's harvest time
Once again
I'm here for you
Just let me in

On this day
I can see
So much more
For you and me

*Hungry Lucy* Always...

"Estou aqui por você... apenas me deixe entrar"

Silence



Silêncio

"Esteja alerta para a regra dos 3
O que você dá retornará para você
Essa lição você tem que aprender
Você só ganha o que você merece"

Tentados em nossas mentes
Atormentada por dentro, mentira
Ferida e com medo
Dentro da minha cabeça
Passando por mudanças

Você soube quando perdeu?
Você soube quando quis?
Você sabia o que eu havia perdido?
Você sabia o que eu queria?

Vazios em nossos corações
Gritando em silêncio
Vagando fora do alcance
Longe demais para falar
Sem condições, levada pela correnteza

Você soube quando perdeu?
Você soube quando quis?
Você sabia o que eu havia perdido?
Você sabia o que eu queria?

*Portishead*

segunda-feira, 6 de julho de 2009

?


Hoje eu quis brincar de ter ciúme de você
Mas sem porque meu coração me avisou que não
Fingi na hora rir
Talvez por aqui estar tão longe de você pra te dizer

Aquilo que eu temia aconteceu ou foi só ilusão
Você manchou nós dois e desbotou a cor de um só coração
Ou anda sozinha, me esperando pra dizer coisas de amor

Pois eu, eu só penso em você
Já não sei mais porque
Em ti eu consigo encontrar
Um caminho, um motivo, um lugar
Pra eu poder repousar meu amor

Quantas horas mais vão me bater até você chegar?
Aqui meu lar deixou de ser aquilo que um dia eu construí
E eu fico sozinho, esperando pra trazer você para mim

Sofro por saber que não sou eu quem vai te convencer
Que cada dia a mais é um a menos pro encontro acontecer
E eu fico sozinho, esperando por você, meu bem-querer

Pois eu, eu só penso em você
Já não sei mais porque

Em ti eu consigo encontrar
Um caminho, um motivo, um lugar
Pra eu poder repousar meu amor

*Los Hermanos*

terça-feira, 23 de junho de 2009

Presságio



O AMOR, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
P'ra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...


Fernando Pessoa

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Pretend



Here strolls the blackened sky
With me, myself and I

Lets pretend well meet again
Pretend you knew me
Pretend you cared
Lets pretend we once kissed
With compassion
With heartfelt affection

Lets pretend well meet again
Lets just, lets just pretend
Pretend you're still... you're still my friend

Lets pretend well meet again
Pretend you knew me
Pretend you cared
Lets pretend we once kissed
With compassion

*Saturnus*

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Tudo é dor


Quando o sol bater
Na janela do teu quarto,
Lembra e vê
Que o caminho é um só,

Porque esperar
Se podemos começar
Tudo de novo?
Agora mesmo,

A humanidade é desumana
Mas ainda temos chance,
O sol nasce pra todos,
Só não sabe quem não quer,

Quando o sol bater
Na janela do teu quarto,
Lembra e vê
Que o caminho é um só,

Até bem pouco tempo atrás,
Poderíamos mudar o mundo,
Quem roubou nossa coragem?
Tudo é dor,
E toda dor vem do desejo,
De não sentimos dor,

Quando o sol bater
Na janela do teu quarto
,
Lembra e vê
Que o caminho é um só.

*Legião Urbana*

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Wonderwall


Today is gonna be the day
That they're gonna throw it back to you
By now you should've somehow
Realized what you gotta do
I don't believe that anybody
Feels the way I do about you now

Backbeat, the word was on the street
That the fire in your heart is out
I'm sure you've heard it all before
But you never really had a doubt
I don't believe that anybody
Feels the way I do about you now

And all the roads we have to walk are winding
And all the lights that lead us there are blinding
There are many things that I would like to say to you
But I don't know how

Because maybe
You're gonna be the one that saves me
And after all
You're my wonderwall

Today was gonna be the day
But they'll never throw it back to you
By now you should've somehow
Realized what you're not to do
I don't believe that anybody
Feels the way I do about you now

And all the roads that lead you there were winding
And all the lights that light the way are blinding
There are many things that I would like to say to you
But I don't know how

I said maybe
You're gonna be the one that saves me
And after all
You're my wonderwall

I said maybe
You're gonna be the one that saves me
And after all
You're my wonderwall

I said maybe
You're gonna be the one that saves me
You're gonna be the one that saves me
You're gonna be the one that saves me


*Oasis*


"Existem muitas coisas que eu gostaria de te dizer
Mas não sei como..."

sábado, 2 de maio de 2009

Cuando



Cuando me despierte cada día
con el cuerpo de aire y ese olor
feliz del tiempo manso de las lilas
sin miedo al movimiento y al dolor
cuando ya no tenga casi nada
de sangre en la garganta de papel
ni un agrio pez nadando en la mirada
ni quiera mas amparo que la piel

Van a ser los días esos barcos
de luz que una vez supe escribir
y la alegría que hemos olvidado
volviendo por los huesos a subir
yo me alimento con una quimera
en que los ojos al sol verán brillar
los brazos de mi padre en las banderas
y una ceniza negra y una ceniza negra
y una ceniza negra que se va.

Cuando me convenza que la suerte
me rige a la par que la pasión
y no el terrible arcángel de la muerte
rondando sobre el campo de el reloj
Si lo consumado y lo posible
tienen siempre la cara del horror
en esta patria de lo inaccesible
en este tiempo olvidado de Dios
Yo digo que mis ávidos amores
son fuertes y viven mas que yo
son gigantes tenues como flores
que alientan a este turbio corazón
los alimento con una quimera
en que los ojos al sol verán brillar
los brazos de mi padre en las banderas
y una ceniza negra y una ceniza negra
y una ceniza negra que se va.


*Jorge Fandermole*


...una ceniza negra...

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Burden




I once upon a time
Carried a burden inside
Some will ask goodbye
A broken line but underlined
There's an ocean of sorrow in you

Sorrow in me

Saw movement in their eyes
Said I no longer knew the way
Given up the ghost
A passing minds and its a fear
In the wait for redemption ahead

Waiting to fade

Fading again

If death should take me now
Count my mistakes and let me through
Whisper in my ear
Taken more than we've received
And the ocean of sorrow is you

*Opeth*

I miss you

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Fool



In this bloody pool
I see such a fool in me
Now my blood is gone
How could I let myself believe
In you

Now I'm cryin'
Cause I'm tryin'
Too hard
Mirror's fadin'
Complicatin'
My heart
Can I kill the past
With one look
At this fool

Thought I read the signs
Leading to divine embrace
I misread the words
Took a giant leap of faith
For you

My disaster
Made you master
Of me
No hereafter
No more chapters
Between
Will you let me go
Or hold on
To this fool

*Hungry Lucy*


...Agora nem a dor te salvará...

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

One Last Goodbye

How I needed you
How I grieve now you're gone
In my dreams I see you
I awake so alone

I know you didn't want to leave
Your heart yearned to stay
But the strength I always loved in you finally gave way

Somehow I knew you would leave me this way
Somehow I knew you could never stay
And in the early morning light
After a silent, peaceful night
You took my heart away and my being

In my dreams I can see you
I can tell you how I feel
In my dreams I can hold you
And it feels so real

I still feel the pain
I still feel your love

And somehow I knew you could never never stay
And somehow I knew you would leave me
And in the early morning light
After a silent, peaceful night
You took my heart away
Oh I wish, I wish you could have stayed


*Anathema*

E te deixo partir, porque aqui nunca estiveste
Teu olhar antes violento, agora é triste e vazio... assim como o imenso vazio que te tornaste (pra mim)
E o que era amor, hoje é saudade
Assim me liberto
E posso acordar do meu sono eterno

(por Aneshka)

I.L.D.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

"Igual a tudo na vida"


E tudo que era certo
E tudo que parecia concreto
Começa a perder o chão
Começa parecer em vão

Quando a gente sente falta do que não é pra sentir
Quando a gente sente o que não é pra sentir
Quando não há como resistir

E tudo perde o sentido
E tudo tem um simples motivo
Ele não sente o que eu sinto
E eu... absinto

(por Aneshka)

sábado, 7 de fevereiro de 2009

O vazio

"Acabo essa noite vazio, é por isso que não desisto do que é saudade... me faz querer você, me deu motivos pra crer que seu desprezo não é verdade, não me importa essa dor, ainda quero a ilusão e não o desespero, então me explica seus espinhos que me arranham sem eu saber que eu quero mais da sua mentira."

R.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Bleak

Beating
Heart still beating for the cause
Feeding
Soul still feeding from the loss
Aching
Limbs are aching from the rush
Fading
You are fading from my sight

Break of morning, coldness lingers on
Shroud me into nightmares of the sun

Moving
I am moving closer to your side
Luring
You are luring me into the night
Crying
Who is crying for you here
Dying
I am dying fast inside your tears

Plunging towards bereavement faster yet
Clearing thoughts, my mind is set

Devious movements in your eyes
Moved me from relief
Breath comes out white clouds with your lies
And filters through me
You're close to the final word
You're staring right past me in dismay
A liquid seeps from your chest
And drains me away

Mist ripples round your thin white neck
And draws me a line
Cold fingers mark this dying wreck
This moment is mine

Help me cure you
Atone for all you've done
Help me leave you
As all the days are gone

Night fall again
Taking what's left of me

Slight twist, shivering corpse
Ornated with water, fills the cracks
Clasped in my limbs by tradition
This is all you need

*Opeth*
(Always...)

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Aprecie o silêncio

Words like violence
Break the silence
Come crashing in
Into my little world
Painful to me
Pierce right through me
Can't you understand
Oh my little girl

All I ever wanted
All I ever needed
Is here in my arms
Words are very
Unnecessary
They can only do harm

Vows are spoken
To be broken
Feelings are intense
Words are trivial
Pleasures remain
So does the pain
Words are meaningless
And forgettable

All I ever wanted
All I ever needed
Is here in my arms
Words are very
Unnecessary
They can only do harm

All I ever wanted
All I ever needed
Is here in my arms
Words are very
Unnecessary
They can only do harm

All I ever wanted
All I ever needed
Is here in my arms
Words are very
Unnecessary
They can only do harm

Enjoy the silence...

(Depeche Mode)

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Acalanto


"Dorme minha pequena
Não vale a pena despertar
Eu vou sair
Por aí afora
Atrás da aurora
Mais serena"


(Chico Buarque)

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

O Solitário


Não: uma torre se erguerá do fundo
do coração e eu estarei à borda:
onde não há mais nada, ainda acorda
o indizível, a dor, de novo o mundo.

Ainda uma coisa, só, no imenso mar
das coisas, e uma luz depois do escuro,
um rosto extremo do desejo obscuro
exilado em um nunca-apaziguar,

ainda um rosto de pedra, que só sente
a gravidade interna, de tão denso:
as distâncias que o extinguem lentamente
tornam seu júbilo ainda mais intenso.

*Reiner Maria Rilke*