quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Submergindo




Eu sinto muito
Está cada vez mais profundo
Assim como a dor que me causas,
Desejos afogados.

O gosto do sal corroe tuas doces lembranças,
Já não escuto mais o som grave da tua voz
E tudo fica tão calmo
tão escuro
No mais profundo silêncio.

Não há mais como lutar;
em qual sentido fica a superfície?

E assim acaba,
Resignada
Submergindo.

(Por Aneshka)

Nenhum comentário: