segunda-feira, 29 de setembro de 2008

White...


Meus sentimentos num pedaço de papel... esquecido num canto... que nunca serão lidos.
Notas de uma música que nunca será ouvida... nem entendida.
A cada momento que passa, existe uma chance de mudar o que está à sua volta.
Mas eu já estou entre "eles". Esquecida... imperceptível.

28.09.08
(por Aneshka)

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Mensageiro do vento


Realmente a madrugada pode ser assustadora... por diversos motivos, dos mais variados possíveis. No devido caso é minha mente que me aterroriza.
Sinto que alguém me observa.
Isso é fato.
Mas por quê?
Sentada na sala, em meu sofá, somente com a luz do banheiro acesa; olho em direção ao "Wa Clo", e lá está... uma caricatura bizarra estampada no box. Tem uma cara comprida e velha, olhos pequenos e odiosos. Me observa, me encara.
Mas não é esse que me intriga. À minha direita está a sacada, que me permite ter uma ampla visão das sacadas do prédio vizinho. É algo muito próximo, não mais que 5m.
Então uma luz de um dos apartamentos se acende. Largo meu copo e observo. Lembro que ali mora um homem, pois já o vi estendendo roupas... (na madrugada se não me engano). Então a luz se apaga, e aí me sinto exposta, pois sei que ele pode me ver mas eu não o posso.
Tudo bem... retorno à leitura do livro, então um barulho me faz voltar o olhar à janela; era um barulho da sacada do tal homem abrindo-se, e o tilintar de seu sininho o denunciava... e a sua luz, permanecia apagada.
Eu gosto do som que faz o objeto decorativo desse vizinho. Em várias noites de vento, chuva e solidão; foi ao seu som que meus pensamentos foram acompanhados. O lado sombrio disso é que às vezes ele balança sem o vento, ao menos é o que já vi.
Mas é possível acreditar e tudo o que se vê?
Não acredito nem em mim mesma, por que acreditar nessas bobagens?
Então dirijo os olhos ao banheiro novamente e lá está meu velho amigo, caricaturado no box, e me fita com desprezo, com esse olhar de um velho rabugento, achando que já viu de tudo.
E na minha frente, quem está? Minha silhueta funesta, refletida em uma tela de TV... pensativa, conturbada... doente.

*25.09.08*
(por Aneshka)

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

sábado, 6 de setembro de 2008

Teu Segredo


"Flores envenenadas na jarra. Roxas azuis, encarnadas, atapetam o ar. Que riqueza de hospital. Nunca vi mais belas e mais perigosas. É assim então o teu segredo. Teu segredo é tão parecido contigo que nada me revela além do que já sei. E sei tão pouco como se o teu enigma fosse eu. Assim como tu és o meu."


*Clarice Lispector*

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Love me to the end



Esperando o amanhecer
Esperando a noite
Esperando o amanhecer
Esperando a noite
O dia é muito longo
O dia é muito brilhante
O dia é muito longo
O dia é muito brilhante
Me ame,
Me ame até o fim

Esse homem persegue
Um punhal em suas mãos
Esse homem persegue
Um punhal em suas mãos
Ainda ele nunca
entrará nas nossas terras
Ainda ele nunca
entrará nas nossas terras
Me ame,
Me ame até o fim

Caia do meu lado
Aqui nos meus braços
Caia do meu lado
Aqui nos meus braços
Essa noite para sempre
O amanhecer não virá
Essa noite para sempre
O amanhecer não virá
Me ame,
Me ame até o fim
Me ame,
Me ame até o fim

*Deine Lakaien*