quinta-feira, 26 de novembro de 2009

L'Amour Detruit


The honey of romance, so
sweet for us
Through swaying grass we
run in arms, just us
The honey of romance, our
treat to us
These arms I fold around you.
It's just us.

Your charms so rare
My flesh laid bare
In arms we dare

I will kiss her mouth and her
dark eyes
Lose myself freely in her dark
eyes
Fall right through her soul,
her mind, her skies

Our limbs entwined
Then comes our minds
It's hope we find

The red lips of her mouth
they call to me

Her mind is mine
Her flesh my kind
Warm, soft, smooth, mine!

I lack for naught
Her mind welcomes my
thoughts

Within our arms we sleep
deeply
I pull her close to me, near me,
into me

Entering the dark, so close,
entwined
We drift away to nothing
And no-one will find

*My Dying Bride*

É... o amor destrói.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Para a (des)conhecida



Das noites de café, das noites de filmes clichês na TV, das noites olhando pela janela; as que tomam conta dos meus pensamentos, são aquelas que eu ficava olhando para o apartamento dela. Dela, a qual nem sei o nome, que por horas deitado eu imagino de que belo nome chamar.
Acordo no meio da noite, e sem saber por que vou até a sacada, lá, bem na minha frente está o apartamento dela. Eu a observo. Ela às vezes está no sofá lendo, raramente olha televisão; mas na maioria das vezes ela está no quarto.
Me sinto um fracassado, com medo, intimidado quando os olhos dela cruzam com os meus. Queria um dia poder contar o quão delicado e atraente é o modo como ela toma o seu chá, contar que meu coração se acalma quando eu a vejo adormecer após ter lido seu livro.
Meus dias são escuros e minhas noites em claro.
Eu não durmo para não ter pesadelos. Ou seria pra não sonhar?
Sonho com teus beijos e com o toque da tuas belas mãos brancas e suaves.
Tenho pesadelos com os teus longos cabelos, que por muitas vezes me sufocam.
Oh minha deusa, será que algum dia irás perceber teu súdito? Imperceptível à teus olhos negros.
Mas vai chegar o tempo em que eu irei te salvar, te levar embora e dizer que tu és minha, pois há muito tempo já sou teu.

(Por Aneshka)

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O Estranho



Sou doente por ti.
Minha doença é tamanha, que chego à pensar que pode ser amor.
A dor é intensa... constante.
Não havia até então sentido algo semelhante.
Você é meu veneno e meu antídoto
Você é minhas noites de insônia e minhas tardes de sono
Você é a paz e a fúria dos meus tormentos
Como já te disse... um ser ambíguo... de dor e prazer.

Perdida em sonhos
Dilacerada na realidade
Incompreendida em meu universo paralelo
E eu pude ver em ti, tudo o que eu via em mim.

(Por Aneshka)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O Menestrel - William Shakespeare



Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.
Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
Aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la…
E que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos de mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam…
Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa… por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas para onde está indo… mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve.
Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão… e que ser flexível não significa ser fraco, ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem, pelo menos, dois lados. Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens…
Poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém…
Algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida! Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.

Querer



Queria ser egoísta o suficiente para dizer: não some! volta!
Queria ser altruísta o suficiente para dizer: vai, segue teu caminho, seja "feliz".
Queria ser indiferente o suficiente para dizer: faça à teu modo.
Queria ser o que você quisesse... ser.
Queria ser o alimento e a fome dos teus desejos.
Queria ser "ela" e que você fosse "ele".
Queria tanto que já não sei o que mais querer.
Queria ser e não ser.
Queria ser e não existir.
Queria dormir.
Queria esquecer.
E por fim
Queria morrer.

(Por Aneshka)

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Universo Paralelo



Norte, Sul
Dia, Noite
Tua pele e a minha
E o tempo caminha...
Onde a tua alma habita na minha.

(Por Aneshka)