terça-feira, 27 de maio de 2008

Unwirklich


Noite de Ano Novo... uma festa peculiar, com muita gente, vinho, comida... fazia um frio intenso, e passamos a virada em cima do vinhedo... vendo os fogos de Dresden. Conversei quase toda a noite com Stefen e a Thea, pessoas mais do que interessantes.
Então...
Subi as escadas em meio à escuridão, fui direto ao segundo andar à procura do banheiro, pois era o único lugar que eu sabia que teria uma luz. Tateando paredes e objetos, achei algo com que parecera finalmente ser a chave de luz.
Caixas, livros, estátuas estavam esparramadas por todos os lados. Caminhei em direção à porta do quarto em que ficaria. Encontrei então mais caixas, tecidos e um roupeiro antigo com uma foto colada na porta.
Entrei no quarto onde ficava a cama. Era frio e a cama estava desarrumada com mais ou menos quatro edredons embolados. Logo acima da cama havia uma biblioteca; com fotos, diários e moedas esparramadas também.
Ao lado esquerdo havia uma pequena escrivaninha, uma cadeira velha com uma calça suja e um par de meias no chão. O chão era de madeira velha, com terra e muita sujeira. Fui em direção ao aparelho de calefação que ficara abaixo da janela. Já estava no nível quatro, mas parecia não funcionar.
Da janela enxergara apenas uma luz que vinha da rua, não definira-se bem as coisas, pois o vidro estara embaçado.
Soltei a minha bolsa num canto e arrumei a cama. Peguei uma almofada que tinha alguns símbolos orientais ou budistas, para não usar o travesseiro da dona da cama.
Apaguei a luz, mas a claridade da rua invadira o quarto.
Pensei um pouco, fechei os olhos e dormi.
Acordei mais tarde e a claridade tomara conta do quarto. Vesti minha roupa e esperei um pouco para descer.
Dirigi-me até a outra parte do quarto, onde ficara o roupeiro. Olhei pela janela e o sol refletira sobre a neve.
Olhei algumas fotos antigas que estavam por ali.
Foi tudo como um sonho, como se eu tivesse entrado na casa de alguém e o tempo tivesse parado e todas as lembranças dela estão espalhadas ali para quem queira vê-las. Era tudo interessante, mas ao mesmo tempo eu não queria mais ficar ali, pois tudo tinha um sentimento de saudade, nostalgia e esquecimento.

(por Aneshka. Alemanha, 01.01.01)

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Sterben


...you was the light when everything was darkness...

(por Aneshka)

domingo, 18 de maio de 2008

Imperceptível?

...muitas vezes é o quê quero ser... algumas vezes é o quê sou... e provavelmente o quê realmente serei...

(por Aneshka)

segunda-feira, 12 de maio de 2008

High Price Of Mistakes


























On the edge,
I wait Hands held tightly…together
Waiting for the name
I wallow in my shame
I played a dangerous game
Hold it all inside, they said
Don’t you speak of this disgrace (till you’re six feet underground)
People whisper silently
I can’t even show my face (can you turn your life around)
Don’t think positive
I’ll only crush myself
We just have to learn
In our mistakes we cause concern
But in the end it’s only me who’ll burn
What will you do, they scream at me
Turning nights to endless days (is there shelter from your fear)
My decisions have no weight
I can only run away (it’s your voice you have to hear) Hold it all inside, they said
Don’t you speak of this disgrace (till you’re six feet underground)
Whispers turn so deafening
I can’t live with my own face (can you turn your life around)
What will you do they scream at me
Leaving my wound so exposed (is there shelter from your fear)
Twisted words and loving arms
No one else will ever know (it’s your voice you have to hear)

*Hungry Lucy*

...pra ti... que nem sabe que é pra ti... :)

quarta-feira, 7 de maio de 2008

The Chase


I can’t find her
Just shadows on the wall
A net full of holes
Can’t prove anything at all
Memory is beautiful
Her flesh is not in front of me
I want to comfort
The girl I never see

Where has she gone
She’s out there all alone
Hidden faces turn
Begin the memory burn
When will she find me

Thin and withered
Red dress turned to pink
Thought I heard her laughing
In books of blue black ink
I don’t think she’s in there
Just an unresponsive smile
No, I can’t see her dancing
I’ve been looking all the while

*Hungry Lucy*

domingo, 4 de maio de 2008

Minha amada


Eu sei que você não pode dizer
O que está errado por que você está sentindo-se assim
Basta lembrar quando você estiver sentindo-se pra baixo
Você sempre pode colocar sua coroa

Minha amada
Isto é uma lágrima em seu olho
Minha amada
O quê está fazendo você chorar
Minha amada
Você irá andar comigo
Para o lugar
Onde podemos ser livres

Querida está ficando tão tarde
Devemos ir para casa não arriscar a sorte
Encontrar isto em si mesmo para amar-me novamente
Não tenha medo nós vamos vencer

Você não fez as coisas que você pensou
Não é verdade as mentiras não podem ser compradas
Eu entendo que você está sentindo-se tão fria
Fique comigo, assim como nós crescemos
*Hungry Lucy*