terça-feira, 10 de junho de 2008

Silêncio...

"...Gosto de ti quando calas porque estás como ausente.

Distante e dolorosa como se tivesses morrido.

Uma palavra então, um sorriso bastam.

E eu estou alegre, alegre de que não seja verdade.

Gosto de ti quando calas e estás como distante.

E estás como que te queixando, borboleta em arrulho.

E me ouves de longe, e a minha voz não te alcança:

Deixa-me que me cale com o silêncio teu. ..."

(Pablo Neruda)



...esse foi teu presente pra mim...

obrigada

também gosto de ti


Nenhum comentário: