sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Christoph


No medo,
No escuro,
Na solidão.

Caí muitas vezes,
Levantei sozinha,
Mas foi a sua voz
que me ensinou à
seguir em frente.

Nos piores momentos
fui carregada nos seus braços.
Não podia enxergar nada,
mas a sua voz
persistia e me ajudara.

No dia seguinte a mesma
voz me chama.
E pouco depois ao
pôr do sol, seus olhos
posso ver mais
uma vez.

A cada gesto,
A cada palavra,
Aquele sorriso
Aquela alma.

O toque profundo
de seus olhos
chegam nos meus
pensamentos e no
mais íntimo de
minha alma.

Através da noite
eles trocam segredos,

falam de desejos, medos
e saudade.

Suspiros, sussurros e
olhares... isso foi o que
aconteceu.

Espero que ele não
se esqueça.

02.07.01
(por Aneshka)

Nenhum comentário: