sexta-feira, 2 de julho de 2010

Teu Pecado




Queria me mutilar
Cortar em mil pedaços
E te dar a carne
Que de nada serve
Que a minha dor de nada serve
Que meu amor de nada serve
Que as lágrimas que não consigo chorar de nada adiantariam
Incompreendida
Lost in the darkness
Olhos tristes
A mente perturbada
O corpo em decomposição
A repulsa
O asco, por tudo que condeno vulgar e inútil
E tudo se repete
E ninguém é diferente de ninguém
Talvez foder seja o único propósito
Solidão mais que necessária
Te odeio
Porque amor eu não sei o que é
Nada faz sentido
Autodestruição
Nada existe
Nada perpetua
Incompreendida
Perdida em devaneios
Solidão necessária
Solidão forçada
Quero tudo e nada

(Por Aneshka)

Nenhum comentário: